DestaqueLimpeza doméstica

Saúde da pele: quando os produtos de limpeza viram vilões

Cuidados com o produto de limpeza

Contato das mãos com produtos de limpeza pode causas dermatites por irritação ou alérgicas. Dermatologista aponta causas, sintomas e pode se prevenir

Os produtos de limpeza são hoje grandes aliados dos profissionais que fazem faxina, mas ele devem ser usados com certo cuidado para não se tornarem um problema de saúde. Isso porque eles podem provocar a chamada dermatite de contato, que, na maioria dos casos, causa irritação na pele das mãos.

De acordo com a dermatologista Jane Bombarda Pierini (CRM SP-79568), também existem as dermatites por sensibilização, que desencadeiam alergias por causa do contato com os agentes limpadores que estão presentes nos produtos, principalmente o cloro. Mas o mais comum é a dermatite de contato irritativa.

“Além do cloro, quanto mais concentrados forem os sabões, os detergentes, os desengordurantes, mais eles podem lesionar a pele, porque, com o uso frequente, eles vão agredindo a barreira cutânea, que é a camada protetora na superfície da pele. E ao remover essa camada, a pele vai ficando exposta à ação química direta desses produtos”, explica a dermatologista, acrescentando que o grau da irritação vai depender da sensibilidade da pele, da frequência do uso dessa substância e da concentração dos agentes ativos dos produtos químicos. Ou seja, essa dermatite é diretamente ligada ao produto e à sua composição.

No caso da dermatite alérgica, Dra. Jane explica que ela pode ocorrer numa pessoa que em algum momento desenvolva uma sensibilização a algum componente. “Não tem ligação direta com a concentração do produto, qualquer sustância é passível da pessoa desenvolver uma sensibilização e passar a desenvolver anticorpos ou células imunologicamente ativas contra determinada substância. O produto pode até ser suave, mas o problema é causado pelo organismo da pessoa que sensibilizou. É mais raro, nesses casos, mas pode acontecer também”, afirma.

Sintomas das dermatites – Os principais sintomas são eritema (pele avermelhada), ardência ou coceira e descamação da pele. Numa fase aguda, dependendo do grau da irritação, a dermatite pode formar vesículas e bolhas ou formar uma secreção amarelada.

A dermatologista destaca que, nos casos mais crônicos, a pele vai ficando cada vez mais vermelha seca e descamativa, formando fissuras, que são. Pequenas rachaduras. A coceira pode acontecer na dermatite irritativa, mas ela é mais frequente na dermatite alérgica.

Como se prevenir – Ainda de acordo com orientação da Dra. Jane, a prevenção é evitar o contato da pele com essas substâncias e, assim, o mais indicado é o uso de luvas de borracha, que mais espessas, principalmente para o trabalho com cloro, que é um dos produtos mais nocivos à pele. “Algumas pessoas resistem, não se adaptam, mas nós insistimos porque é a prevenção mais eficiente. No caso da pessoa ser alérgica ao látex, ela pode usar luva de plástico ou então usar uma luva de malha embaixo da luva de borracha. O importante é se adaptar, porque, nesses casos, o uso da luva é fundamental”, destaca.

E se aparecer algum sintoma e a pessoa desconfiar que seja causado por produtos de limpeza, é preciso suspender o uso, hidratar bastante a pele com cremes específicos para as mãos, sem perfume, e procurar um médico especialista. “É o dermatologista quem pode avaliar o grau da irritação ou da alergia para entrar com medicação, tópica ou sistêmica. E especialmente no caso da dermatite alérgica, o médico pode indicar um teste para detectar a substância que está provocando a alergia”, concluiu Dra. Jane Pierini Bombarda.

 

Comentários

Leave a Response